Pai não é só provedor

A presença do pai favorece e amplia os vínculos afetivos e o desenvolvimento saudável do bebê. Com uma licença paternidade de cinco dias, muitos homens não conseguem acompanhar nem a primeira consulta do bebê ao pediatra.
A ampliação da licença-paternidade acompanha o que está cada vez mais evidente com pesquisas em todo o mundo: o papel do pai é crucial desde o acompanhamento do pré-natal, no apoio no parto e pós-parto e no vínculo com o bebê.
Se o pai sai para trabalhar quando a criança acorda, e chega do trabalho quando a criança já está dormindo, em que momento ele poderá construir esse vínculo? 
Para o pai, permanecer por mais tempo afastado do trabalho é uma oportunidade de se envolver nos cuidados e de criar vínculos mais fortes com seus filhos e filhas. Dessa forma, ele ganha o direito e as condições necessárias de assumir uma responsabilidade que já é dele!

#dalicencaeusoupai por uma licença paternidade que permita aos homens assumirem a responsabilidade do cuidado com seus filhos e filhas