quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Violência contra mulher - Arte para aliviar a dor e transformar

Instituto Papai apoia:::

12022505 433019250220690 5776341297007317853 o Arte para aliviar a dor e transformar
Espetáculo teatral vai às ruas e denuncia casos de violência contra a mulher
“Toda dor pode ser suportada, se sobre ela puder ser contada uma história”. A frase da pensadora alemã Hannah Arendt (1906-1975) traduz muito bem o propósito de interferência artística do mais recente trabalho do Núcleo de Experimentações em Teatro do Oprimido- NEXTO. Las Mariposas é fruto do desejo dos atores Andrea Veruska e Wagner Montenegro de retratar a situação de violência contra as mulheres em Pernambuco. Durante o mês de outubro, novembro e dezembro 13 comunidades da Região Metropolitana do Recife (Macaxeira, Ilha de Deus, Prazeres, Joana Bezerra, Coque, Chão de Estrelas, Hipódromo, Alto José do Pinho, Santo Amaro , Imbiribeira, Santa Tereza, Coelhos, Cidade Universitária) a encenação que acontecerá sempre às 19h30 e totalmente aberta ao público.
 O nome do espetáculo faz referência às irmãs dominicanas Maria Tereza, Pátria e Minerva, conhecidas como Las Mariposas, que foram mortas em 25 de novembro de 1960 pelo regime ditatorial da República Dominicana, por buscarem uma vida com mais igualdade entre homens e mulheres. O tema da violência contra a mulher sempre esteve muito presente ao longo dos mais de 11 anos de experiência dos atores com Teatro do Oprimido, método teatral criado pelo brasileiro Augusto Boal.  Segundo Andrea Veruska, “aviolência contra a mulher sempre foi um problema recorrente nos diversos grupos e nos mais diferentes lugares que a gente atuava, sobretudo nos grupos que trabalhamos nas cidades do interior de Pernambuco. Tínhamos também o conhecimento de casos de violência com mulheres muito próximas e a gente sentia a urgência de falar sobre esse tema.”
As histórias que serão encenadas nas localidades da RMR com os maiores índices de violência contra a mulher  são reais e a construção da dramaturgia se fez a partir da escuta de mulheres que sofreram violência; através de entrevistas, o texto para o espetáculo foi criado. O primeiro exercício para a construção do espetáculo deu-se por meio de duas intervenções pelas ruas do Recife. Nestas performances, o ator Wagner Montenegro caminhava pelas ruas puxando a atriz Andréa Veruska por uma coleira amarrada ao pescoço. Tratava-se da experiência de observar como as pessoas reagiriam ao ver uma situação de violência tão explícita na rua. “Caminhávamos cotidianamente, nada era teatral. Não usávamos maquiagens, nem figurinos que denunciassem que aquilo era teatroEssa técnica se chama Teatro Invisível e faz parte do conjunto de técnicas do Teatro do Oprimido. A gente andava pelas ruas, numa situação corriqueira e as pessoas xingavam muito Veruska e diziam que ela devia ter feito alguma coisa pra merecer ser acorrentada. Fizemos essa intervenção duas vezes, em dois ambientes distintos. A primeira foi nas redondezas do Mercado de São José e a segunda pela praia de Boa Viagem”, acrescenta o ator Wagner Montenegro. Com a encenação, pretende-se facilitar o acesso dessas populações ao teatro, ainda mais tratando de um tema que permeia a vida de tantas pessoas. “A nossa forma de militância é com a arte. É essa forma que a gente tem, que a gente sabe fazer e é a nossa maneira de denúncia. Queremos mesmo que esse espetáculo toque as pessoas que irão nos assistir e que seja uma maneira eficaz de gritarmos que a violência contra a mulher é real e está muito perto da gente” destaca o ator Wagner Montenegro. Para a encenadora Maria Agrelli o“desafio é encontrar na rua uma possibilidade de intimidade com o público e, a partir daí, utilizar uma semiarena em que ele esteja muito próximo dos artistas para que a relação seja criada sem separação. O desejo é de trazer a respiração pra perto, de construir um espetáculo intimista, na ideia de que as pessoas se sintam em casa.”
oficina. cred. maria agrelli 1 Arte para aliviar a dor e transformar
Foto: Maria Agrelli
Oficinas para compartilhar histórias – Mulheres compartilharam suas histórias de violência com o NEXTO, através de oficinas em que foi utilizada a técnica “a imagem em três tempos”, da Estética do Oprimido, que é uma das vertentes do Teatro do Oprimido. Na oficina, as mulheres contaram, em imagens em telas, as suas histórias. As produções resultantes da oficina vão compor o cenário de Las Mariposas, os quadros pintados por elas se transformaram em almofadas para o público sentar e assistir ao espetáculo.
Triste realidade, a violência contra a mulher – A violência contra a mulher é umas das principais causas de morte feminina no Brasil. No país, a cada quatro minutos uma mulher é vítima de agressão e nos últimos dez anos 43 mil mulheres foram assassinadas
Ficha técnica:
Elaboração e realização do projeto: NEXTO
Dramaturgia e pesquisa: Andréa Veruska, Wagner Montenegro e Maria Agrelli
Revisão de texto: Heber Costa
Elenco: Andréa Veruska e Wagner Montenegro
Encenação: Maria Agrelli
Direção de atores: Ceronha Pontes
Direção de arte: Marcondes Lima
Aderecista: Álcio Lins
Sonoplastia: Nana Milet
Iluminação: Eron Villar
Operação de luz: Gabriel Félix e Eron Villar (Villa Lux)
Coreografia: María Laura Herrero
Editora gráfica: Iara Sales
Cenotécnico: Gustavo Teixeira
Costureira: Maria Lima
Técnicos de montagem: Diógenes D. Lima e Gaguinho
Registro fotográfico: William Oliveira, Rafael Acioly e Priscila Câmara
Produção de vídeo: William Oliveira | 7ª Arte Cinema
Produção executiva: Luciana Barbosa
Assessoria de imprensa: Nice Lima | Ritmo Comunicação
Contabilidade: Hypólito Patzdorf

LAS MARIPOSAS
LOCAIS DE APRESENTAÇÃO
OUTUBRO:
Dia 09 (Sexta-feira): Bairro da Macaxeira – Recife- PE (RPA 3)
Local: ESCOLA PERNAMBUCANA DE CIRCO
Endereço: Av. José Américo de Almeida, 05 – Macaxeira, Recife – PE, 52090-320
(81) 3266-0050
Horário: 19h30min
Apoio: EPC

Dia 10 (Sábado): Comunidade da Ilha de Deus – Recife- PE(RPA 6)
Local: Em frente ao Centro Saber Viver
Horário: 19h30min
Endereço: Rua Engenho Bom Recreio, 92 Recife – PE
Apoio: Centro Educacional Popular Saber Viver

Dia 11(Domingo): Bairro de Prazeres – Jaboatão – PE (RMR)
Local: Espaço Arena, Viaduto Geraldo Melo
Horário: 19h30min
Endereço: Viaduto Prefeito Geraldo Melo, no cruzamento com a Avenida Barreto de Menezes, em Prazeres.
Apoio: Espaço Cultural Viaduto Geraldo Melo.

Dia 15(Quinta-feira): Bairro da Joana Bezerra – Recife –PE (RPA 1)
Local: Pérola Francisca dos Passos- Polo da Academia da Cidade do Coque, instalado na Ilha Joana Bezerra
Horário: 19h30min
Endereço: Comunidade Coque, próximo à passarela do Viaduto Capitão Temudo, na Ilha Joana Bezerra
Apoio: Academia da Cidade Recife

Dia 16(sexta-feira) : Bairro de Chão de estrelas (RPA 2)
Local: Praça de  Chão de estrelas
Horário: 19h30min
Endereço: Rua Passarela, 18A, Chão de Estrelas, Zona Norte do Recife.
Apoio: Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo

Dia 17 (sábado): Bairro do Hipódromo – Recife –PE
Local: Praça do Hipódromo
Horário: 19h30min
Endereço: Rua Gaspar Regueira – Praça do Hipódromo
Apoio: Guerreiros do Passo

Dia 29 (Quinta-feira): Bairro do Alto José do Pinho– Recife –PE (RPA3)
Local: Centro social Dom João Costa
Horário: 19h30min
Endereço: Acaiaca, 70 – Alto José do Pinho, Recife – PE
Apoio: Centro Social Dom João Costa

Dia 30 (Sexta-feira): Bairro de Santo Amaro( RPA1)
Local: Praça do Campo Santo
Horário: 19h30min
Endereço: Santo Amaro
Apoio: Sesc Santo Amaro

Dia 31(Sábado); Bairro da Imbiribeira (RPA 5)
Local: Lagoa do Araçá
Endereço: Avenida José Ferreira Lins  – Imbiribeira
Horário: 19h30min
Apoio: Academia da Cidade

Novembro
Dia 07: Bairro de Olinda
Local: Galpão dos sonhos
Endereço: Rua Duarte Coelho N.269  Bairro de Santa Tereza – Olinda
Horário: 19:30


Dezembro:
Dia 04: Bairro dos Coelhos
Local: Praça dos coelhos
Horário: 19:30

Dia 10 – Cidade Universitária
Local: UFPE
Horário: 19:30
Apoio: Instituto Papai

Serviço:
 Las Mariposas
(Confirmar datas e horários em:  consultar www.facebook.com/nexto.pe e      nextoblog.wordpress.com )
Macaxeira – Recife, dia 09 out
Ilha de Deus-Recife,   10 out
Prazeres, Jaboatão dos Guararapes –  11 out
Joana Bezerra, Recife –  15 out
Chão de Estrelas, Recife –  16 out
Hipódromo, Recife –  17 out
Alto José do Pinho, Recife – 29 out
Santo Amaro, Recife – 30/out
Imbiribeira, Recife –  31/ out
Santa Tereza, Olinda – 07 nov
Coelhos, Recife – 4 dez
Cidade Universitária, Recife – 10 dez
Sempre às 19h30
Aberto ao público
Mais informações: projetomariposas@gmail.com /nextoblog.wordpress.com / www.facebook.com/nexto.pe

Nenhum comentário:

Postar um comentário