segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Instituto Papai divulga lista de candidatas/os para entrevista de seleção para Educador/a



Agradecemos a todos/as o interesse em participar da seleção para educador do projeto "Equidade de gênero e empoderamento econômico de mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família”. Informamos que ao todo tivemos 56 candidatos/as inscritos, após analise dos documentos, divulgamos a lista das candidatas selecionadas para o processo de entrevistas, conforme disposto no edital.


Solicitamos que verifiquem o dia e horário marcado para entrevista. Havendo algum empecilho de comparecimento, favor nos informar, pois, o não comparecimento será contado como desistência.




TERÇA-FEIRA (18/02)
HORÁRIO
CARLADE PAULA SILVA CAMPOS
13h30
AULTA JANE DA SILVA AZEVEDO
14h00
HELENA CORDEIRO DA SILVA
14h30
SUZY LUNA NOBRE GONÇALVES FERREIRA
15h00
MARIA DA GRAÇA SILVEIRA GOMES DA COSTA
15h30
CAMILA DE MELO SANTANA
16h00
NILZA BARBOSA DE LIRA CASÉ
16h30
QUARTA-FEIRA (19/02)
HORÁRIO
CRISTIANA DE ARAÚJO CAVALCANTE
09h30
MARIA JOSÉ DOS SANTOS
10h00
ANA CECÍLIA NASCIMENTO CUENTRO
10h30
MICHELLY ARAGÃO GUIMARÃES COSTA
11h00
GISELLI MARA DA SILVA BELO
11h30

Qualquer dúvida, entrar em contato conosco pelo telefone (81) 3271.4804.
Sem mais,

Instituto Papai

5 comentários:

  1. Por que só CANDIDATAS selecionadas , qual o problema com CANDIDATOS ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Anônimo,

      Como é de conhecimento público e notório, o Instituto Papai desenvolve, há 17 anos um trabalho voltado para discussão de questões relativas às masculinidades a partir de uma perspectiva feminista de gênero. Dessa forma, lutamos cotidianamente pela desconstrução de papéis de gênero que fundamentados no machismo, causam dor e sofrimento para homens e sobremaneira, para as mulheres. Nossa missão se fundamenta na crença de que os homens podem e devem participar ativamente no processo de transformação social para alcançarmos um sociedade mais justa e igualitária. Assim, seria no mínimo um grande contraditório basearmos a seleção de candidatos/as numa suposta discriminação de gênero como você insinua em sua mensagem. Seria jogar na lata do lixo todas as crenças que sustentam nossa atuação e nosso reconhecimento. Acredito que um primeiro passo para alcançamos a tão almejada equidade de gênero é que os homens comecem a reconhecer a possibilidade de as mulheres estarem mais aptas a desempenhar algumas funções do que eles em algumas situações. Qual a dificuldade de aceitar que apenas mulheres foram pré-selecionadas para a segunda fase do processo seletivo? Gostaria de deixar essa pergunta na intenção de que ela promova uma reflexão crítica a respeito de um tipo de pensamento que fundamenta por exemplo, as conhecidas desvantagens que as mulheres tem tido no mercado de trabalho até os dias de hoje.
      Atenciosamente,
      Mariana Azevedo
      Coordenadora Geral do Instituto Papai

      Excluir
    2. Olá, Mariana! Tudo na paz? Sou Marconi Bispo, também participei da seleção e, de antemão, acredito (de verdade!) no que você expôs. Sobretudo no que está escrito nas últimas linhas - a questão das desvantagens das mulheres no mercado de trabalho que, infelizmente, perdura e persiste até os dias atuais. O que posso te dizer (muito a título de sugestão, me perdoe a ousadia) é que, baseado no que você afirma - e que é bastante coerente, a seleção poderia se voltar somente para mulheres, ter esse recorte mesmo. Isso, para mim, não seria um problema porque também me alio ao que defendes e entrei neste certame já bastante consciente que este poderia ser um critério. O mais importante e delineador. Chamar para a entrevista só mulheres confirmou um pouco isso e, pessoalmente, acredito que esta pode ser (desde sempre) uma posição. Assim, se evitaria construir impressões que podem, como foi para o candidato acima, criar alguns ranços e falsas imagens. Espero que você me entenda e saiba que, em nenhum momento, deixaria de participar de outra seleção. O que pode acontecer, contudo, é já entrar alquebrado, com aquela sensação de 'vamos lá mas sei que pode não rolar por essa e outras razões...' Ainda assim, não deixaria de participar. Grande abraço e boa sorte a todas e todos.

      Excluir
    3. Oi Marconi Bispo, meu nome é Sirley Vieira, assim como Mariana sou um dos coordenadores da Instituição. É bom que você se coloque da forma respeitosa e cuidadosa como fez. Entendo tuas argumentações, mas, deixa eu enfatizar com clareza que, para essa seleção, assim como para outras que já houveram, não havia a prioridade em relação a seleção de mulheres. A seleção se deu pelo perfil profissional - incluindo ai a militância, a questão acadêmica e a analise do exercício. Tivemos ao todo 56 pessoas inscritas, a maioria mulheres (não tenho esse número exato agora, mas, se não me engano, não tivemos nem 10 homens inscritos). Assim, não seria de se estranhar que, proporcionalmente, houvesse mais mulheres pré-selecionadas. Poderiam ter homens também, mas, após a analise do perfil geral dos inscritos - repetindo os critérios de analise: experiência profissional, militância, aproximação temática, exercício bem desenvolvido, etc. -, nos fez eleger 12 candidatas que melhor representava esse perfil. Isso não quer dizer que os/as outros/as candidatos/as fossem ruins, nem tão pouco que os homens foram excluídos do processo, isso apenas diz que as 12 pré-selecionadas foram as que mais se encaixaram no perfil da vaga, não por serem mulheres, mas porque se destacaram na analise dos critérios ao qual já mencionei. Dito isso, espero que tenha deixado claro que não houve, em nenhum momento, preterimento dos homens em beneficio das mulheres, pois, como já dito, a escolha foi exclusivamente pelo perfil profissional. Fico feliz de você está disposto a participar de outras seleções que virão. Comigo mesmo foi assim, para vim a integrar a equipe do Papai cheguei a participar de 3 seleções diferentes. Abraços.

      Excluir
  2. Falta de um currículum tão bom quanto das candidatas?

    ResponderExcluir